musica,livros,vida,amor,sol,bem estar,sociedade

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amelices e outros estados de alma

50 e´s ainda à procura do sentido da vida.

50 e´s ainda à procura do sentido da vida.

Amelices e outros estados de alma

22
Mar17

Inspira, respira e não pira.


Beia Folques

Vamos lá ter calma, é quarta-feira. Aquele dia de viragem na semana. Se os 2 primeiros foram fraquinhos esperamos que a situação inverta e a vida nos sorria assim rasgadamente.

Olhando para a rua o tempo fez uma inversão do seu curso natural e regressamos ao Inverno.

E como estou numa de inversão hoje esta notícia deixou-me espantada, um viaduto em Alcântara que deveria ser provisório resolveu hoje dar o seu ar de graça e gritar por obras urgentes, tinha passado a definitivo e alguém se esqueceu dele. Mas a urgência do país neste momento passa por criar ciclovias, que coisa, que interessa um viaduto que afecta o trafego automóvel e ferroviário. Estão parvos ou quê!!!!

A malta da linha que têm a mania que é chique já devia saber que deviam vir trabalhar de bicicleta, tão ecológico e funcional. Trazem os filhos naqueles atrelados que se vê em Amesterdão, e as lancheiras ao ombro. Até podem desenvolver como as antigas varinas e pôr alguma carga em cima da cabeça, as mochilas e sei lá mais o quê. Trazer o cão e o gato para o trabalho também me parece razoável, o cão pode vir a correr ao lado da bicicleta, o gato num cesto cor de rosinha na frente da mesma. Lindo.

Quem quer o pára-arranca da marginal ou da A5, os comboios apertados, atrasados ou mesmo suprimidos, a elite da linha clama por ciclovias largas com pisos sedosos para dar azo ás suas “biclas”.

Esta gente que insiste em outras vias de locomoção parece-me que têm uma resistência à evolução dos tempos, a modernizar-se que faz impressão. Andem lá libertem-se das amarras dos veículos motorizados e elétricos e sejam verdes e sofisticados.

22
Mar17

Dijsselbloem e os povos do Sul


Beia Folques

Na Grécia Antiga, hoje o dia era consagrado a Hércules. Pois como bom homem do Sul da Europa vou homenageá-lo, não pelos seus feitos heroicos, gloriosos, pela sua valentia, nem seus sacrifícios. Mas sim pela sua virilidade. Deduzo que aquele mito que chegou aos nossos dias que os homens do Sul gastam tudo em mulheres e bebidas venha destes tempos longínquos. Após andarem à guerra, por vezes à mocada mesmo contra bichos estranhos e deusas maquiavélicas divertiam-se em regadas orgias. E passados tantos séculos vivemos com este estigma. O que acontece é que já não há heróis épicos, nem mitológicos e bem os povos do Sul em boa verdade já não têm tempo nem dinheiro para gastos que não seja o da vidinha do dia-a-dia por isso quando somos atacados desta forma tão baixa me dá um amargo de boca.

Ontem ouvi na tv e efectivamente é o que acho o ataque do Holandês era à classe politica, pois então recomendo que o Sr. Presidente do Eurogrupo o faça com objectividade, frontalidade e hombridade, chame o “boi pelo nome” em vez de generalizar, ou seja os políticos do Sul são uns ladrões, gananciosos, corruptos, sem moral nem sentido de Estado, assim sim.

Os povos do Sul não se indignam nem se sentem beliscados pois vivem com esta realidade todos os dias. Somos os verdadeiros descendentes de Hercules, com uma tarefa monumental que é viver com os roubos contínuos, a delapidação do nosso património, o desgoverno as alterações das leis em proveito da classe politica e a financeira e o insulto gratuito de algum ignóbil estrangeiro.

ps- no último parágrafo refiro-me aos políticos do meu país, os outros desconheço se são tão maus, melhores ou piores. Embora piores deve ser muito difícil…

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D