musica,livros,vida,amor,sol,bem estar,sociedade

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amelices e outros estados de alma

50 e´s ainda à procura do sentido da vida.

50 e´s ainda à procura do sentido da vida.

Amelices e outros estados de alma

18
Jul17

Não somos ilhas.


Amélia Folques

m cepeda1.jpg

Fui tomar um café com uma amiga, conversando comentámos sobre o afastamento de uma amiga em comum. Estava com namorado novo essa amiga em comum. Embora tivesse essa relação recente nem por isso parecia mais feliz, surpreendentemente tinha-se isolado de todos nós.

Pensando nesse caso cheguei á conclusão que um sinal nas relações a dois que indica que a relação é tóxica, venenosa mesmo, é quando um dos elementos que a constituem tenta afastar o outro do grupo de amigos ou da família. É um alerta urgente de ser analisado que facilmente se confunde com o outro nos amar tanto que só nos quer para ele, ter tanto interesse e necessidade que todo o tempo é gasto só e exclusivamente com o outro.

Se tens uma relação amorosa e essa pessoa não te apresenta os seus amigos ou a família, não te introduz no seu mundo, no seu núcleo de amizades e afectos alguma coisa está errada. O mesmo acontece quando não se quer que o outro tenha amizades, conviva com os seus entes queridos até então.

Os teus amigos te definem e acrescentam algo á tua personalidade, moldam o teu estilo de vida, expressam a forma de estares na vida. Só conheces verdadeiramente o outro se conheceres os seus amigos e família, só conheces o outro se conheceres o ambiente onde se desenvolveu e cresceu. Os amigos e a família dão-te estrutura, corpo, são pilares de ti. São o passado e presente.

 Se estiveres com alguém que te afaste e tente negar essa parte de ti é porque não quer conhecer-te verdadeiramente, a tua essência. Pode querer muitas coisas mas não é o teu verdadeiro eu. Só ama parte de ti, egoisticamente não te quer como um todo.

O mesmo se aplica quando estás com alguém que não te quer incluir, envolver no seu grupo de amigos ou família. Não se quer dar a descobrir, a revelar, a desnudar a sua pessoa. Reserva-se e não se expõe. Nunca o conhecerás a sério.

 Se os dois mundos não coexistirem e ajustarem-se, fundirem-se ficarás sempre fracturado.

A relação é superficial e desequilibrada. Pois excluirmos quem nos apoiou, esteve lá connosco e para nós, com quem partilhámos momentos bons ou menos felizes é como nos amputarmos. Não somos ilhas, e toda essa gente que nos acompanhou até termos uma nova relação amorosa tem um pouco da nossa história para contar e algo a acrescentar.

Com eles crescemos e vivemos por isso toda essa partilha de informação com o objecto amoroso da nossa relação é uma mais-valia para nos desvelar aos olhos dele. Por vezes de uma forma positiva e correndo o risco de também poder ser negativo.

Mas ninguém é perfeito nem os amigos, nem a família. Mas são parte de nós, formamos um mundo e não uma ilha.

 

Pintura: Margarida Cepêda

07
Jul17

Castelos, palhotas, santuários e conchas


Amélia Folques

sandcastlel.jpg

Sexta-feira, Aleluia.

Depois de uma semana alucinante em quase todos os aspectos, vejo 2 dias para me recolher qual perola aconchegada na concha. Tentar esquecer que o Mundo existe e fervilha.

Foi daquelas semanas em que tomamos consciência que a nossa vida é um castelo feito de cartas, talvez daqueles que fazemos na praia em criança ou com os nossos filhos num dia de Verão perfeito. Que investimos engenho, tempo, paciência, cuidado, esmero mas basta uma onda que ele desmorona.

A vida é uma ilusão. Parece sólida mas é tão sensível, frágil.

Era bom fechar-me na concha, mas não posso. Se tens filhos, se és filho/a, se és irmã/ão, se tens família, se tens laços afectivos com alguém, se tens amigos é um luxo que não te assiste desaparecer do mapa sem deixar rasto.

Mas ainda bem que me exponho a escrever pois dá-me a dimensão do que estou a pensar, meço e avalio as palavras e tomo a verdadeira noção que luxo mesmo é ter filhos, família, amigos.

 Bem vamos lá esquecer a ideia da concha e abrir as portas, as janelas do nosso santuário e albergar todos que nos procuram.

Não interessa se construíste um castelo na praia, ou um com cartas, ou mesmo que seja uma palhota como a dos 3 porquinhos o que interessa é que seja feita com amor e habitada.

Isso sim é que é um luxo ou melhor uma bênção.

Feliz fim de semana.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • s o s

    explico. Pois, justamente nao vou explicar nada, ...

  • Ana D.

    Excelente reflexão!Obrigada pela partilha!

  • Anónimo

  • cheia

    Totalmente de acordo!Boa semana!

  • Anónimo

    Concordo, contudo sal a mais no inicio pode ser tã...

Mensagens

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub